A Pop Art e a Publicidade: A Arte Suprema é o Negócio

Rebelde, talentoso e inovador, Andy Warhol costumava definir o artista como alguém que produz coisas de que as pessoas não têm necessidade – crítica feita ao próprio mundo do consumo –, enquanto a publicidade tenta desesperadamente convencê-las do contrário. Ao se valer, para construir sua arte, de celebridades hollywoodianas, latas de sopa Campbell’s e garrafas de Coca-Cola, Warhol representou o zeitgeist de uma época: do florescimento da cultura de massa. Acabou tornando-se um dos ícones da pop art americana e ganhou o mundo com a sua “arte publicitária”.

“A Arte Suprema é o Negócio”, A definição de Andy Warhol – o ícone Pop que teve capacidade para mudar o mundo – entrelaçou a arte e a cultura de massas. Em especial, o da publicidade.

No passado dia 22 de fevereiro, fez 30 anos que morreu, num hospital de Nova York, um dia após ter se submetido a uma cirurgia para retirar a sua vesícula biliar. Filho de imigrantes Checos, o jovem tímido Warhol frequentou aulas de arte e estudou no célebre Instituto de Tecnologia Carnegie, atual Carnegie Mellon School of Design, em Pittsburgh, onde morou com a família. Formado, foi morar em Nova York. Contratado pela revista Glamour, desenhou sapatos e acabou criando anúncios para outras revistas, como Vogue e Harper’s Bazaar, e fez capas de livros, entre outros projetos. Sua primeira exposição foi na Hugo Gallery: 15 desenhos baseados nos escritos de Truman Capote.

Se estivesse vivo, faria 89 anos. Não viveu a era da internet, a mais escancarada materialização de sua visionária frase “No futuro todo mundo será famoso durante 15 minutos”. Não deixa de ser interessante imaginá-lo por aqui nos dias de hoje, e o que ele seria capaz de fazer com tantas ferramentas e recursos, especialmente como cineasta.

Warhol elevou o cotidiano e o banal à condição de arte. Ao se valer de técnicas mecânicas de produção, provou que o que se produz em massa pode ter a mesma importância do que é único e irreproduzível. Reduziu as fronteiras entre “arte vulgar” e “arte elevada”. A arte pop aproximou a arte das massas como nenhum outro movimento conseguiu, levou a cultura popular para os museus e para as exposições internacionais.

Na albadesign  gostamos de nos rodear de boas fontes de inspiração. O mundo da Pop Art em particular, é e continuará a ser um dos nossos preferidos.

joanaaraujoesilva / 7 Agosto, 2018
SHARE

Leave a Reply